sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

GOVERNO BOLSONARO COPIA E USA DISCURSO NAZISTA

O pós-eleição e o início do governo Bolsonaro não conseguiu qualquer resultado significativo na economia e a qualidade de vida do povo mais pobre tem piorado. Daí, a tentativa de adestramento ideológico e a mídia comprada via Fábio Wajngarten, como forma de avalizar as Fake News eleitorais e manter a população em estado de raiva contra os opositores do presidente. É pela SECOM que se traça as estratégias mais importantes de manutenção da tensão entre povo, igreja, mídia e notícias falsas. É, senão, o órgão mais importante de um governo que se baseia apenas em retenção, censura e manipulação direta da informação. Com isso, a substituição de uma pessoa que tem alcançado os objetivos de um trabalho tão fundamental para a manutenção do poder nas mãos da extrema-direita.

Entenda por que Bolsonaro não demite o chefe da SECOM envolvido em caso de recebimento de emissoras beneficiadas pelo seu governo
Ceilândia em Alerta17 de janeiro de 2020 00:18


Há certas questões que deveriam ser melhor debatidas pela mídia, incluindo a independente, quando relações simples entre informações responderiam certas perguntas que pairam pelo ar. Depois das que se fazem sobre Fabrício Queiroz, já esgotadas, as novas, são sobre o tal Fábio Wajngarten, chefe da SECOM do governo Bolsonaro. Primeiro ponto a ser ressaltado é que a importância da SECOM para Bolsonaro é estrutural. A Secretaria de Comunicação é uma das mais ou, senão, a mais importante do governo atual, dado que Bolsonaro venceu as eleições com base em notícias falsas veiculadas por dispositivos de comunicação. Contra os desmentidos de fatos como a tal “mamadeira” e o “kit gay”, a mídia ficou de mãos atadas, quando até ela era atingidas pela onda avassaladora de notícias mentirosas. A SECOM, como Secretaria de Comunicação estabeleceu pontes com veículos que se dispuseram a submeter seu jornalismo à venda descarada que acontece via, justamente, o tal secretário Fábio. O pós-eleição e o início do governo Bolsonaro não conseguiu qualquer resultado significativo na economia e a qualidade de vida do povo mais pobre tem piorado. Daí, a tentativa de adestramento ideológico e a mídia comprada via Fábio Wajngarten, como forma de avalizar as Fake News eleitorais e manter a população em estado de raiva contra os opositores do presidente. É pela SECOM que se traça as estratégias mais importantes de manutenção da tensão entre povo, igreja, mídia e notícias falsas. É, senão, o órgão mais importante de um governo que se baseia apenas em retenção, censura e manipulação direta da informação. Com isso, a substituição de uma pessoa que tem alcançado os objetivos de um trabalho tão fundamental para a manutenção do poder nas mãos da extrema-direita, ser considerada intocável, mesmo com um flagrante crime de conflito de interesses. Fábio seria dono oculto de agências que receberam milhões em supostos serviços fornecidos, justamente pelas emissoras beneficiadas com o novo governo, Band, Record e SBT. Para Bolsonaro, não importa a honestidade, a questão aqui, é se a pessoa alcança o objetivo maior de projeto de poder exposto nas mudanças estúpidas, sem qualquer embasamento científico, em diversas áreas sociais do país, em especial, na educação e na comunicação. Fábio Wajngarten é uma peça chave na engrenagem de poder bolsonarista e dificilmente será retirado, a menos que seja comprovado o seu envolvimento com provas cabais e materiais. By Fábio St RiosSiga nossas redes sociais Site:https://www.ceilandiaemalerta.com.br/

0 comentários: