sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Petrobrás vende refinarias

A Petrobras iniciou a fase vinculante para a venda de quatro das oito refinarias e logísticas associadas


A Petrobras iniciou a fase vinculante para a venda de quatro das oito refinarias e logísticas associadas ofertadas ao mercado, como parte de um amplo plano para se desfazer de metade de sua capacidade de refino do país, informou a companhia em comunicado nesta sexta-feira.
Nessa primeira etapa, serão vendidas as refinarias Rnest, em Pernambuco; Rlam, na Bahia; Repar, no Paraná; e Refap, no Rio Grande do Sul, assim como seus ativos logísticos correspondentes.
Os potenciais compradores classificados receberão nessa fase vinculante carta-convite com instruções detalhadas sobre o processo de desinvestimento, incluindo orientações para a realização de due diligence e para o envio das propostas.
O desinvestimento é o maior em curso atualmente pela Petrobras, que tem um bilionário programa de venda de ativos que busca levantar recursos para reduzir dívidas, enquanto volta seu foco para ativos de grande rentabilidade, essencialmente as áreas do pré-sal.
Além disso, o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, defende o fim do monopólio da petroleira, que detém quase 100% do mercado de refino brasileiro.
O executivo disse anteriormente que mais de vinte companhias se apresentaram como interessadas na primeira fase do programa de vendas. Alem disso, ele prevê que as vendas possam começar a ocorrer até março de 2020.
As demais refinarias colocadas a venda são Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Minas Gerais; Refinaria Isaac Sabbá (Reman), no Amazonas; Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (Lubnor), no Ceará; e Unidade de Industrialização do Xisto (Six) no Paraná.
Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas. Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

0 comentários: