quarta-feira, 9 de outubro de 2019

BOLSONARO E A RÃ

Mito Chinês
Bolsonaro e a rã
A rã presa no poço não entende o mar.
Bolsonaro, e grande maioria dos brasileiros, não entendem o mar.

Há um provérbio chinês que costuma ser usado para satirizar a falta de visão e de perspicácia no individuo.

Segundo um mito chinês, uma rã, que morava num poço abandonado próximo ao mar, só podia movimentar-se no limitadíssimo espaço que era o fundo do poço e, conseqüentemente, o que via não passava de um pequeno pedaço do céu. Nada conhecia lá fora, e nada sabia sobre a existência de um imenso mundo.

Bolsonaro viveu 30 anos abandonado no fundão da câmara legislativa, coincidentemente como a rã no fundo do poço.

Certa vez, uma tartaruga do mar apareceu à beira do poço, e a rã, lá do fundo, apressou-se a vangloriar-se:
– Vê, amiga tartaruga, que linda e confortável residência é a minha! Aqui, eu salto livremente e descanso num buraco na parede do poço quando me apetece. Se quero nadar, a água cobre-me as pernas e chega-me ao queixo. Passeios? Passear aqui nesta terra pantanosa é uma verdadeira delícia! Garanto que tu, minha amiga tartaruga, nunca tiveste uma vida tão feliz como esta! Vem, vem ver o meu paraíso!
Levada pela curiosidade, a tartaruga do mar deu um passo em frente e, mal viu o “paraíso” da rã, recuou, dizendo:
– Sabes uma coisa, minha amiga rã? O mar é tão imenso que tem milhares e milhares de quilômetros de extensão, e milhares e milhares de braças de profundidade… Dez anos de inundações consecutivas não conseguiriam aumentar nem um centímetro o nível das suas águas, e dez anos consecutivos de seca não lograriam baixá-lo. Ali sim, é vida!

Desta lenda provém o provérbio: A rã no fundo do poço, para fazer referência às pessoas de visão curta e com falta de perspicácia, e do qual derivam algumas expressões de uso corrente, como “opinião de rã no fundo do poço”, “ponto de vista de rã do poço”, “contemplar o céu do fundo do poço”.

É esta a postura de Bolsonaro e de grande maioria do povo brasileiro numa comparação com a rã neste artigo. Ele é a rã do poço juntamente com a maioria dos brasileiros que vivem num poço, próximo ao oceano, que ali nasceram e dali nunca saíram, pois não conseguem saltar tão alto. Mesmo porque desconhecem o mundo ao redor do poço, pois, como nunca o viram. Para essas pessoas, assim como para a rã, não hã nada além das paredes de pedra de seu poço. Desta forma, ignoram o imenso oceano ao seu redor e que dele somente ouvem o seu som, ignorando por completo o que realmente é. Não só ignoram o oceano, ou seja, a condição do mundo onde vivem, mas também ignoram sua própria condição de “rã presa no poço”.

0 comentários: