domingo, 18 de agosto de 2019

Estamos à beira do abismo



Por aqui, neste país continental, o povo até tenta superar a violência, uma hora ou outra as pessoas percebem que todos estão propensos a cometer atos violentos e que devemos olhar mais para os outros, para as vítimas, para os presos, para nós mesmos, humanos que somos. Mas então, como trovões, aqueles em posição de poder e destaque lançam palavras contrárias nos céus do país, disseminando o medo e por consequência a vingança, a lei do talião, do olho por olho dente por dente. E tudo se perde!
Estamos à beira do abismo. Não lutamos mais pela democracia, lutamos pela civilização. Nossos próximos passos podem ser os últimos, os últimos passos da humanidade.
João Marcos Buch é juiz de direto da vara de execuções penais da Comarca de Joinville/SC e membro da AJD


0 comentários: