domingo, 29 de março de 2015

A ESCRAVIDÃO MENTAL

A ILUSÃO PERSISTENTE - ESCRAVIDÃO MENTAL

Por Jean Bispo
Nosso mundo é controlado por forças invisíveis que manipulam a humanidade há cerca de 6000 mil anos. Depois que descobri como o carrocel da matrix funciona, tenho gradualmente me libertado.

A CHACOTA
Mesmo que você não acredite, isso não faz diferença alguma, pois nesse exato momento você está sendo controlado e manipulado, e especialmente para não acreditar nessas palavras, pois o tolo sempre rirá daquilo que desconhece.
A ILUSÃO PERSISTENTE
Você olhar para seu mundo em volta e crer que o que você está vendo é puramente real. No entanto, você está vivendo em uma bolha de ilusão - uma ilusão persistente e projetada com o único objetivo - mantê-lo preso mentalmente, emocionalmente e espiritualmente.
HOLLYWOOD
Hollywood se especializou em projetar na tela tramas intrínsecas sobre o emaranhado jogo da vida. A maioria dos filmes que envolve a Terra estão sempre voltado para catástrofes que abala a estrutura capaz de sustentar a vida humana nesse Planeta. Outro ponto destacado por Hollywood é a questão de controle das massas.
A MÍDIA
A mídia tanto da a forma como molda as opiniões e atitudes das pessoas, e dessa feita, define o que é normal e aceitável dentro da sociedade. Mas o que é a mídia?
MÍDIA - Religião, política, televisão, cinema, rádio, jornais, revistas, livros, gravações musicais, jogos de computador e a Internet. A mídia usa a ciência das Comunicações, que é usada no marketing, nas relações públicas e especialmente na política.
No prefácio da edição de 1958 do livro Admirável Mundo Novo, Aldous Huxley pinta um retrato bastante sombrio da sociedade. Ele acredita que ela é controlada por uma "força impessoal", uma elite governante que manipula a população usando vários métodos:
"Forças impessoais sobre as quais não temos praticamente controle algum parecem estar nos empurrando na direção do pesadelo do Admirável Mundo Novo; e essa pressão impessoal está sendo conscientemente acelerada por representantes das organizações empresariais e políticas que desenvolveram diversas técnicas novas para manipular, de acordo com o interesse de alguma minoria, os pensamentos e emoções das massas." [Aldous Huxley, prefácio de Admirável Mundo Novo].

Não há nada de paranóico nem teorias de conspiracionistas. São fatos documentados e apresentados em estudos mais importantes do mundo sobre a mídia de massa.
A mídia de massa e a propaganda são, portanto, ferramentas que precisam ser usadas pelo senhores do de destino, para governar o público sem o uso da coerção física. Segundo o pensador Walter Lippmann, um conceito importante, é a "fabricação do consentimento", que é, em resumo, a manipulação da opinião pública a aceitar os planos da elite. Isso acontece porque o público não está qualificado para refletir e tomar suas próprias decisões.
FABRICAÇÃO DO CONSENTIMENTO
"Que a fabricação do consentimento é capaz de grandes refinamentos, acho que ninguém nega. (O processo pelo qual as opiniões do público surgem certamente não é menos intricado do que já foi mostrado nesta página, e as oportunidades para a manipulação aberta são bastante claras para qualquer um que compreenda o processo...) como um resultado da pesquisa psicológica, acoplada com os meios modernos de comunicação, a prática da democracia mudou de rumo. Uma revolução está ocorrendo, infinitamente mais significativa que qualquer mudança de poder econômico... Sob o impacto da propaganda, não necessariamente no significado sinistro da palavra sozinha, as antigas constantes do nosso pensamento se tornaram variáveis. Por exemplo, não é mais possível acreditar no dogma original da democracia; que o conhecimento necessário para o gerenciamento dos assuntos humanos apareça espontaneamente a partir do coração humano. Onde atuamos com base nessa teoria nos expomos ao autoengano e às formas de persuasão que não podemos verificar. Já foi demonstrado que não podemos confiar na intuição, na consciência ou nos acidentes da opinião casual se quisermos lidar com o mundo que está além do nosso alcance."
- Walter Lippmann, Public Opinion; tradução nossa.
O GOVERNO
O inconsciente coletivo se expressa por meio de símbolos similares e figuras mitológicas em diferentes civilizações, o que pode facilmente ser observado na "linha do tempo".
"A manipulação consciente e inteligente dos hábitos organizados e das opiniões das massas é um elemento importante na sociedade democrática. Aqueles que manipulam esse mecanismo oculto da sociedade constituem um governo invisível que é o verdadeiro poder governante no mundo. Somos governados, nossas mentes são moldadas, nossos gostos são formados e nossas ideias são sugeridas, em grande parte, por homens sobre os quais nunca ouvimos falar".
- Edward Bernays
Sua religião, suas crenças e as políticas de governos que lhe parecem tão sólidas, foram engenhosamente projetadas para lhe condicionar e governar a sua vida de forma tão sutil, que os escravos lutaram para defender sua escravidão mental....
Continua...
https://www.facebook.com/jeanbispoPorqueAvidaPodeSerLEVE

A ligacão entre o vemprarua e a Stratfor, a "CIA do B"

A ligacão entre o vemprarua e a Stratfor, a "CIA do B"

O que fazia o líder do “Vem pra Rua” na lista da Stratfor, que o Wikileaks vazou em 2012?
Por Fernando Brito, editor do Tijolaço
Em fevereiro de 2012 – muito antes que nascesse o “Vem pra Rua” – o nome de Rogério Chequer apareceu na lista de e-mails da empresa de “inteligência global” Statfor, conhecida como “the Shadow CIA”.
A lista foi hackeada dos computadores da empresa  e divulgada peloWikileaks e, é claro, sua autenticidade nunca foi confirmada. O arquivo do Wikileaks onde consta seu nome pode ser baixado do site do Wikileaks aqui.
Chequer, que até então não teria nenhuma razão para ser envolvido em assuntos políticos, está na 13a. linha do arquivo e  aparece identificado com a companhia “cyranony”.
E existe, de fato, uma companhia Cyrano NY, LLC , registrada como “companhia estrangeira” no Estado de Delaware, um paraíso fiscal dentro do  território americano, e assim reconhecido até pela Receita Federal brasileira.
Não é possível saber, por isso, se a empresa tem a algo a ver com Chequerpara ser assim mencionada nos arquivos da Stratfor.
Portanto, de nada o se acusa, embora ele, como figura pública que é, agora, talvez pudesse explicar o que fez desde que seus negócios saíssem de um estado glorioso que tinha como dono de um fundo de investimento nos EUA e viesse, em 2012, ser sócio dos primos numa agência de publicidade especializada em produzir  apresentações de “power point”.
Porque, até 2008, tudo ia de vento em popa para Chequer nos EUA, que lançava novos produtos financeiros e apresentava um categorizado “Advisory Board” de sua Atlas Capital Manegment, que tinha entre os integrantes até um ex-diretor do Banco Central, Luiz Augusto de Oliveira Candiota, que se demitiu do cargo rebatendo denúncias, feitas pela Istoé, de ter uma conta não declarada no exterior.
Mas neste meio tempo, algo aconteceu e não sei se por razões econômicas ou por saudades do Brasil, Chequer se desfez de tudo, inclusive de sua bela mansão de cinco quartos no chique entorno de Nova York, em White Plains, considerado um dos dez melhores lugares para se viver perto da Big Apple.
Repito: ao contrário do que a mídia costuma fazer, aqui não se acusa de nenhuma ilegalidade o sr. Rogério Chequer. Tudo o que está publicado aqui está em documentos públicos, oficiais, na Internet, ao alcance de qualquer cidadão.
Não é transparência o que o “Vem pra Rua” apregoa?

Riqueza dividida institucionalmente com os corruptos

Riqueza dividida institucionalmente com os corruptos
28/3/2015 às 09h55 (Atualizado em 28/3/2015 às 10h17)

Bancos e empresas são alvo da operação Zelotes, que apura desvios de R$ 19 bilhões na Receita

Petrobras também está entre as empresas investigadas

Agência Estado
Polícia Federal e Receita apuram desvios de R$ 19 bilhões Reprodução/PF
Os bancos Bradesco, Santander, Safra, Pactual e Bank Boston, as montadoras Ford e Mitsubishi, além da gigante da alimentação BR Foods são investigados por suspeita de negociar ou pagar propina para apagar débitos com a Receita Federal no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais). Na relação das empresas listadas na operação Zelotes também constam Petrobras, Camargo Corrêa e a Light, distribuidora de energia do Rio.
"Aqui no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) só os pequenos devedores pagam. Os grandes, não", resumiu um ex-conselheiro do Carf, com cargo até 2013, numa conversa interceptada com autorização da Justiça, segundo relato dos investigadores. Procuradas pela reportagem, a maioria das empresas informou não ter conhecimento do assunto.
A fórmula para fazer o débito desaparecer era o pagamento de suborno a integrantes do órgão, espécie de "tribunal" da Receita, para que produzissem pareceres favoráveis aos contribuintes nos julgamentos de recursos dos débitos fiscais ou tomassem providências como pedir vistas de processos.
Leia mais notícias de Brasil no Portal R7
PF apreende R$ 1,25 milhão em espécie na operação Zelotes
Desvios na Operação Zelotes podem superar os da Lava Jato
Empresas dizem não saber de investigação da PF sobre fraude na Receita
O grupo de comunicação RBS é suspeito de pagar R$ 15 milhões para obter redução de débito fiscal de cerca de R$ 150 milhões. No total, as investigações se concentram sobre débitos da RBS que somam R$ 672 milhões, segundo investigadores. O grupo Gerdau também é investigado pela suposta tentativa de anular débitos que chegam a R$ 1,2 bilhão. O banco Safra, que tem dívidas em discussão de R$ 767 milhões, teria sido flagrado negociando o cancelamento dos débitos.
Estão sob suspeita, ainda, processos envolvendo débitos do Bradesco e da Bradesco Seguros no valor de R$ 2,7 bilhões; do Santander (R$ 3,3 bilhões) e do Bank Boston (R$ 106 milhões).
A Petrobras também está entre as empresas investigadas. Processos envolvendo dívidas tributárias de R$ 53 milhões são alvo do pente-fino, que envolve a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e as corregedorias da Receita Federal e do Ministério da Fazenda.
Os casos apurados na Zelotes foram relatados no Carf entre 2005 e 2015. A força-tarefa ainda está na fase de investigação dos fatos. A lista das empresas pode diminuir ou aumentar. Isso não significa uma condenação antecipada. A Camargo Corrêa é suspeita de aderir ao esquema para cancelar ou reduzir débitos fiscais de R$ 668 milhões. Também estão sendo investigados débitos do Banco Pactual e da BR Foods. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

As empreiteiras, o PSDB, PT e PMDB

As empreiteiras, o PSDB, PT e PMDB

O clube das empreiteiras e a política

DANIEL BRAMATTI | 28/03/15
As empresas investigadas na Operação Lava Jato foram responsáveis, em média, por 40% das doações privadas de recursos para o PT, o PMDB e o PSDB no período de 2007 a 2013