Postagens

Mostrando postagens de Março 18, 2015

“Em tempos de mentiras universais, dizer a verdade se torna um ato revolucionário”. George Orwell

Imagem
Cid volta a irritar deputados, que pedem sua demissão Deputados se revezam na tribuna contra o ministro da Educação, que não recuou da acusação que a Câmara é formada por 'achacadores'Por: Marcela Mattos e Gabriel Castro, de Brasília18/03/2015 às 16:49 - Atualizado em 18/03/2015 às 18:05 Ministro da Educação Cid Gomes discursa na tribuna da Câmara - 18/03/2015(Gustavo Lima/Câmara dos Deputados) Há 20 dias, o ministro da Educação, Cid Gomes, irritou deputados governistas e de oposição ao afirmar que a Câmara tinha "400, 300 deputados achadores" durante uma palestra na Universidade Federal do Pará. Acabou convocado a dar explicações sobre a fala na Câmara, o que conseguiu adiar alegando problemas de saúde. Nesta quarta-feira, Cid Gomes finalmente compareceu ao chamado dos deputados, que aguardavam por um recuo ou até que ele se desculpasse. Mas Gomes fez exatamente o contrário: repetiu o que disse, provocou diretamente o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMD…

FERMENTO COLOCADO NAS CAPACIDADES DE ODIAR

Imagem
Atos de ódio​
“Os ‘de cima’, os ricos, nunca toleraram que os pobres ascendessem socialmente. E, no governo do PT, muitos pobres ascenderam econômica e socialmente, mas, infelizmente, uma parte não ascendeu intelectualmente, são massa de manobra da direita”
por Dr. Rosinha | 17/03/2015 10:09
CATEGORIA(s): Colunistas, O Brasil nas ruas
Dr. Rosinha Muitos opinaram e muitos ainda opinarão sobre os atos de domingo, mas como também gosto de meter o meu bedelho, também escrevo sobre o tema. Como domingo vou descansar e segunda tenho que trabalhar, escrevo antecipadamente (no sábado) porque uma certeza tenho: estes atos são resultado da construção do ódio.
Ódio construído pelos “de cima”, como dizia Florestan Fernandes.
Tive minha formação política durante a ditadura militar. Além de ler, participava muito de debates, alguns deles clandestinos, coisa que muitos que irão para a rua sabem perfeitamente o que é, pois estavam do lado da ditadura e oprimiam o povo.

82% dos manifestantes de domingo na Paulista votaram em Aécio: Datafolha

Datafolha: 82% dos manifestantes de domingo na Paulista votaram em Aécio
Já no ato organizado por movimentos sociais na sexta-feira, 71% disseram ter votado na petista. Pesquisa mostra diferença no perfil e na pauta de quem foi às ruas em São Paulo nos dois dias de protestos
por Congresso em Foco | 17/03/2015 10:59
CATEGORIA(s): Notícias, O Brasil nas ruas, Outros destaques

Mais do que pedir o impeachment da presidenta Dilma (27%), protestar contra a corrupção (47%) foi o principal motivo alegado pelos manifestantes que participaram dos protestos do último domingo (15) na Avenida Paulista, em São Paulo. Protestar contra o PT (20%) e contra os políticos (14%) foram as razões apontadas em seguida pelos entrevistados pelo Instituto Datafolha.
De acordo com a pesquisa, 82% dos entrevistados se declararam eleitores de Aécio Neves (PSDB) no ano passado, 37% manifestaram simpatia pelo PSDB e 74% participavam de protesto de rua pela primeira vez na vida. Segun…

Parlamentares triplicam fundo partidário

“impeachment” virou eufemismo para “golpe de Estado”

Imagem
Grande mídia, redes sociais e movimentação golpista: a ação de setores conservadores para influenciar a nação "No atual léxico do pensamento político, a palavra “impeachment” virou eufemismo para “golpe de Estado”. Segundo a grande imprensa, um panelaço produzido por alguns membros das classes sociais mais abastadas contra Dilma Rousseff representa a opinião pública nacional. Já nas redes sociais, a nova moda dos “revoltados online” é gravar e compartilhar vídeos insultando a presidenta com palavras de baixo calão e atribuindo a ela todos os males do país. Em suma, parece que muitos brasileiros perderam totalmente o senso do que é viver em sociedade e aceitar as diferenças."



Texto de Francisco Fernandes Ladeira, retirado do Observatório da Imprensa:


MANIFESTAÇÕES DE RUA Grande mídia, redes sociais e movimentação golpista Por Francisco Fernandes Ladeira em 16/03/2015 na edição 842 Um espectro ronda o Brasil: trata-se do terceiro turno, a tentativa desesperada dos se…

As agressões de filhos contra pais: violência silenciosa

Imagem
18/03/2015 17h25 - Atualizado em 18/03/2015 17h25
Violência silenciosa: as agressões de filhos contra pais Segundo psicólogos, problema atinge todos os tipos de família; no Brasil, mais de 14 mil casos foram registrados entre 2012 e 2014. Da BBC
Facebook Para especialistas, a banalização da violência pode ser uma das muitas causas do aumento deste tipo de problema (Foto: Thinkstock/BBC)
Muitas famílias convivem com um problema grave de violência, mas poucas têm a coragem de denunciá-lo às autoridades ou procurar ajuda: a agressão de filhos contra seus próprios pais.
A vergonha e o sentimento de culpa evitam que eles falem a respeito do assunto. No entanto, alguns já admitem o problema.
"Ela me agrediu. Minha filha me jogou no chão, não podia respirar e (ela) quebrou o dedo da avó que tentou me ajudar", disse à BBC Mundo Mariángeles (nome fictício), uma mãe de 42 anos que mora em Madri, na Espanha.
Psicólogos e sociólogos analisam o…

É hora de erradicar o analfabetismo

Imagem
publicação em andradetalis51 filmes que você precisa recomendar. É hora de erradicar o analfabetismo político no Brasilby Talis AndradeRepressão, censura, porões.
Resistência, greves, guerrilhas, movimentos culturais.
A ascensão e declínio do regime, em obras importantes do cinema brasileiro.
Filmes com a versão sem cortes para você assistir agora. De graça. É só clicar. Para democraticamente assistir. Sem censura.
São 43 filmes completos.
E sete ”trailers”
Clique aqui:
51 filmes para conhecer a fundo a ditadura.
O terror de 21 anos de escuridão.
Eis alguns cartazes

viver o amanhã antes de viver o hoje

Imagem
ansiedade "a ansiedade é querer viver o amanhã antes de viver o hoje; e aí acontece que nem bem sentimos o sabor do que estamos usufruindo agora, nem conseguimos saborear o que virá amanhã, pois quando o amanhã chegar, já estaremos nos afligindo com o depois de amanhã..."

(autor desconhecido)