sexta-feira, 3 de abril de 2015

Aula tradicional não se resume no "professor na frente da sala e alunos apenas escutando"

 Revista Galileu

Aulas tradicionais são ineficientes, mostra estudo

13/05/2014 - 16H05/ ATUALIZADO 16H0505 / POR EDSON CALDAS

Aulas tradicionais são menos eficientes (Foto: Kevin Dooley/Flickr/Creative Commons)

Quantas vezes durante uma aula entediante tudo o que você mais quis era estar na sua cama dormindo? Talvez o problema estivesse na metodologia de ensino. Pelo menos é o que defende um novo estudo de pesquisadores norte-americanos.
A análise revela que universitários submetidos a aulas tradicionais, em formato de palestras, são mais propensos à reprovação do que alunos em contato com métodos de aprendizado mais ativos e estimulantes.
"As universidades foram fundadas na Europa Ocidental em 1050 e aulas tradicionais tem sido a forma predominante de ensino desde então",  diz o biólogo Scott Freeman, da Universidade de Washington. Ele e um grupo de colegas analisaram 225 estudos sobre métodos de ensino.
Abordagens de ensino que transformam os alunos em participantes ativos reduzem taxas de reprovação
Os resultados foram publicados nesta quarta-feira, 12, na Proceedings of the National Academy of Sciences, e mostram que abordagens de ensino que transformam os alunos em participantes ativos, em vez de apenas ouvintes, reduzem taxas de reprovação e impulsionam notas em cerca de 6%.
"A mudança nas taxas de insucesso é enorme", diz Freeman. Para Eric Mazur, físico da Universidade de Harvard, que fez campanha contra aulas tradicionais por 27 anos, esse é "realmente um artigo importante". "A impressão que tenho é que é quase antiético dar palestras, se você tem esses dados", avalia.
Freeman diz que ele começou a usar as novas técnicas, mesmo com turmas grandes. Segundo a Science, embora ainda utilize slides do Power Point, apresenta apenas perguntas e interage com os alunos, inclusive chamando de forma aleatória. "Meu curso de biologia introdutório ganhou 700 alunos", afirma.

Meu cometário
A qualidade no produto não estar no produto e sim em quem fez o produto.
A qualidade da aula não estar no método e suas técnicas, estar em quem domina com maestria o método e as técnica do ensino-aprendizado.
O problema não estar em ser ou não tradicional. Professor que e' professor transforma qualquer relação de ensino-aprendizado em aulas denominadas de "tradicional" em aprendizagem no minimo significativa. Agora, da forma como se pratica essa relação hoje nas salas de aulas das escolas brasileiras, qualquer sistema, modelo, ideia por mais inovadora, revolucionaria que possa ser, e' puro fracasso.
Professor Negreiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário