quarta-feira, 30 de abril de 2014

A invenção do ente


André Rezende Azevedo:
"O pensamento dominante inventou um ente, o “modelo capitalista”, para atribuir a culpabilidade de invasões e depredações ao patrimônio. Atribuiu à “desigualdade social” o aumento dos casos de roubos e violências físicas. Atribuiu à falta de “discernimento entre o certo e o errado” a atenuação dos encargos dos assassinatos cometidos pelos jovens. Quer dizer, atribui-se a uma abstração que paira acima de tudo e todos, as responsabilidades que deveriam ser dos indivíduos de carne e osso. "

Investimentos sociais

Investimentos sociais não podem ser a compensação para investimentos econômicos predatórios http://goo.gl/GqAfjg

Entrevista com Ricardo Abramovay - Os desafios sociais e ambientais enfrentados pela sociedade mundial estão aí e é preciso resolvê-los. Como fazer isso de maneira a garantir um desenvolvim...

#entrevista   #investimentosocial   #ecologiahumana   #meioambiente  
imagem não exibida

Manipulador


iG
Você sabe reconhecer um manipulador?
Conhecer as táticas de manipulação é uma maneira de evitar que pessoas mal-intencionadas nos transformem em 'marionetes'. Aprenda a reconhecer as condutas mais comuns desses indivíduos e evite ser manipulado por eles: http://bit.ly/1fOHnaT
imagem não exibida

Você sabe reconhecer um manipulador?

Por Ricardo Donisete - iG São Paulo
Texto

Todo mundo usa técnicas de manipulação no dia a dia, mesmo sem perceber. Aprenda a reconhecer as condutas mais comuns desses indivíduos e evite ser manipulado por eles

Já estava decidido: o jantar seria naquele restaurante italiano que você cobiça há meses. Mas, sem você nem sequer notar, o espaguete à bolonhesa perde a vez para uma legítima comida alemã, que seu parceiro escolheu. E quando aparece uma promoção no trabalho perfeita para seu perfil e seu colega afirma, de maneira muito convincente, que a mudança não seria apropriada para você neste momento? Antes mesmo de perceber, você declina o convite da chefia e quem fica com a vaga, claro, é o solícito companheiro de trabalho.
As cenas descritas são fantasiosas, mas poderiam ter acontecido. Isso porque o mundo está cheio de pessoas que manipulam as situações cotidianas de acordo com desejos e necessidades pessoais. “Há muita gente assim no mundo. Mas por meio de suas atitudes, é possível identificá-las e fugir das ciladas que elas preparam”, diz Marie-Josette Brauer, doutora em psicologia e expert em técnicas de persuasão.
Getty Images
Manipuladores criam um problema para depois vender a solução

Mas Marie-Josette pondera que nós todos somos manipuladores em algum momento da vida. “A manipulação é uma ferramenta social. Nós aprendemos a usá-la desde cedo”, exemplifica a psicóloga. “Só vira uma problema quando começa a acontecer repetidamente, com a pessoa manipulando os outros o tempo todo para conseguir o quer, sempre visando o bem próprio”, acrescenta a expert.
“O problema geral da manipulação é que cada experiência prepara o manipulador para fazê-lo mais e melhor”, pontua Sergio Senna, doutor em Psicologia e professor do Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. “Eles vão explorar qualquer aspecto que considerem adequado para melhorar as chances de sucesso em seus golpes”, complementa Sergio.
Psicólogo e especialista em Terapia Comportamental, Reginaldo do Carmo Aguiar diz que é preciso ter alguns fatores em mente para podermos diferenciar o grau de perigo que esses indivíduos oferecem. “Para avaliar algo como problema é importante pensar nas seguintes variáveis: frequência, duração, intensidade e a intenção da manipulação”, analisa Reginaldo.
Além desses fatores, alguns comportamentos são muito típicos nos manipuladores. Os especialistas apontaram os principais. Confira:
Thinkstock Photos
Conhecer as táticas de manipulação é uma maneira de evitar que pessoas mal-intencionadas nos transformem em 'marionetes'
1. Falsos elogios – A habilidade com as palavras é uma competência que o manipulador domina e usa sem dó. “Ele diz na frente de todo mundo para alguém que executou bem uma tarefa: ‘Parabéns, você deve ter passado o fim de semana inteiro fazendo isso’. Parece um elogio, mas na verdade ele está dizendo que a pessoa não dá conta do trabalho durante o expediente”, exemplifica Marie-Josette.
2. Reforço da culpa – Eles fazem as pessoas se sentirem culpadas para conseguir o que querem. “É um sentimento negativo, que motiva as pessoas a tomarem decisões para se livrarem da sensação aversiva que ele traz”, aponta Sergio, ressaltando que o manipulador gosta de se colocar na posição de vítima. 
3. Desordem – “É a estratégia do ‘dividir para reinar’. No trabalho, isso aparece naquelas pessoas que lançam, discretamente, dúvidas sobre a competência e a conduta dos colegas, o que acaba provocando conflitos e gerando um ambiente de confusão. O manipulador vai criando uma situação para que ele apareça como a única pessoa sensata”, descreve Marie-Josette.
4. Narcisismo - “As coisas têm que ser do meu jeito porque sou o mais inteligente”. Para Reginaldo, essa frase é típica dos manipuladores e eles realmente acreditam nela. “Nessas pessoas, o comportamento interpessoal mais frequente envolve atitude de grandiosidade; busca incessante por admiração e insensibilidade ao outro”, afirma o psicólogo.
5. Exploração das fraquezas – Sergio diz que um manipulador está sempre em busca do ponto fraco de quem ele quer persuadir. “Eles analisam o comportamento alheio com facilidade em busca de vulnerabilidades a serem exploradas, como a ganância”, identifica o expert, contando que nessa situação é comum pessoas serem manipuladas em golpes que prometem o ganho de muito dinheiro de maneira fácil.
6. Uso de lógica aparente - Para conseguir o que quer, o manipulador usa dados e informações de maneira enviesada. “Por exemplo, um vendedor diz para você comprar um produto porque ele foi aprovado por 95% dos consumidores. Mas não diz que o número de pessoas pesquisadas foi bem pequeno, o que torna a estatística pouco confiável”, constata Marie-Josette.
7. Falso alívio – Estratégico, o manipulador primeiro cria uma dificuldade, para depois oferecer uma "solução". Marie-Josette descreve uma situação que exemplifica esta conduta: “O chefe diz para o subordinado: ‘Você tem que trabalhar o fim de semana inteiro para terminar um projeto’. Quando o empregado reclama, o patrão diz: ‘Então fica só hoje até mais tarde’. O empregado passa a madrugada trabalhando, mas acha que se deu bem”.
E o que fazer depois de identificar um indivíduo com essas características no nosso convívio? Sergio alerta que o mais importante é não tomar nenhuma medida precipitada ao perceber uma tentativa de manipulação. “Lembre-se que o manipulador está atrás de uma decisão. Basta mostrar-se cauteloso nas decisões que ele irá dispensá-lo por conta própria, pois tem uma fila de pessoas desatentas prontas para cair no golpe”, aconselha o especialista.
“Questione sempre e peça mais informações sobre o que o manipulador diz. Confira com outras pessoas se ele está dizendo a verdade. Você acabará descobrindo a tentativa de manipulação ou pelo menos desestimulando o autor dela”, finaliza Marie-Josette.
>>> Assine a Newsletter, curta nossa página no Facebook e siga o @Delas no Twitter <<< 

    Leia tudo sobre: manipulação • manipulador • denunciam • dicas • atitudes

    Zuleide Faria de Melo

    Zuleide Faria de Melo

    Camaradas,
     Nossas homenagens a nossa eterna Profª Zuleide, um ícone do PCB de todos os tempos. Vamos adquirir a revista para melhor compreensão dos mais novos.

    A ENTREVISTA "Zuleide Faria de Melo: militante comunista de toda uma vida" FOI REPRODUZIDA NOS LINKS ABAIXO
     
    http://uniaodajuventudecomunistama.blogspot.com.br/
     

    -------- Mensagem original --------
    Assunto:Zuleide Faria de Melo: militante comunista de toda uma vida
    Data:29/04/2014 21:24
    De:PCB Secretaria Geral PCB <secretariageral.pcb1@gmail.com>
    Para:PCB Secretaria Geral PCB <secretariageral.pcb1@gmail.com>


    Mensagem ao CC e aos CRs para conhecimento

    Zuleide Faria de Melo: militante comunista de toda uma vida

    "A professora Zuleide Faria de Melo é um desses personagens políticos cujo papel e presença marcaram indelevelmente a história do Partido Comunista Brasileiro em momentos cruciais da sua existência, da luta contra a ditadura de 1964 até o processo de reconstrução revolucionária que impediu a destruição do mais longevo partido político da história do Brasil. A militância comunista de Zuleide Faria de Melo é marcada por uma generosa solidariedade de classe, por uma imensa grandeza política e por firme convicção ideológica. São 50 anos de presença marcante nas lutas pela transformação social do Brasil na perspectiva do socialismo.
    Da simples militância de base à condição de Secretária-Geral do PCB, Zuleide Faria de Melo cumpriu grande jornada em vários campos da vida política e social, passando pela resistência à ditadura no Brasil, pelo apoio às lutas populares e operárias, pelo exercício transformador do magistério na UFRJ e pela convicta solidariedade internacional para com os povos em luta, em especial o reiterado apoio à revolução cubana.
    Zuleide Faria de Melo é militante de toda uma vida pela causa socialista, sempre ao lado do operador político que escolheu para travar os combates na história: o Partido Comunista Brasileiro." Assim a nona edição da revista Novos Temasapresenta rica entrevista com Zuleide Faria de Melo, que transcrevemos a seguir.

    Agir agora

    “Chegou o tempo de agir”, afirma pesquisador que integra o IPCC

    Por Envolverde -  o climatologista José Marengo, pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), explicou, em entrevista à Agência FAPESP, quais são as novidades do quinto relatório (AR5) do IPCC, em comparação com o quarto, o AR4, lançado em 2007...

    #mudançasclimáticas   #ipcc   #onu   #meioambiente  
    imagem não exibida

    pelo tombamento da Serra

    Cientistas mobilizam-se pelo tombamento da Serra da Mantiqueira http://goo.gl/5NGtXB

    Remanescentes da Mata Atlântica na região abrigam grande número de espécies endêmicas e nascentes que ajudam a abastecer as cidades do Vale do Paraíba e o município do Rio de Janeiro

    #unidadesdeconservação   #rppns   #arvores   #mataatlantica   #preservacao  #serradamantiqueira   #meioambiente  
    imagem não exibida

    luto antes de seguir em frente

    Quem passa por uma grande decepção no relacionamento precisa viver a ‘morte’ pra continuar com a pessoa. Entendendo esse ciclo fica mais fácil superar: http://bit.ly/luto-amor_MV
    imagem não exibida




    Términos e crises no relacionamento pedem momento de luto antes de seguir em frente

    Entenda como ocorrem esses finais de um ciclo e que fases específicas eles envolvem


    POR ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 23/04/2014

    Relacionamentos amorosos possuem o um movimento muito similar a nossa vida enquanto ser humano e indivíduo. Primeiramente, deve nascer, depois ser construído e desenvolvido, para então se tornar firme e sólido. Assim como também deve passar continuamente por cuidados e atenções para que se tenha uma previsão de longevidade. Exatamente, como o movimento de nascer e desenvolver de um ser humano. 
    Uma relação deve ser cuidada e alimentada e receber investimento contínuo, no tempo e limite certos, para poder chegar a algum futuro saudável. Então, partindo da ideia que toda relação nasce e cresce, devemos então entender que toda relação morre ou pode morrer. Tanto sentimentalmente (em perdas de certos encantos) como por vezes na concretude (separação). 
    Por vezes, uma relação amorosa acaba passando por uma angustia maior do que, aqueles dois indivíduos ou as vezes somente um deles podem suportar, como decepções, traições, agressões, mentiras, egoísmos desmedidos, ciúmes intensos... Situações como estas podem ser a justificativa para determinar o fim, isto é, a morte, daquela relação. Esta morte não precisa estar ligada somente a ideia de separação. Muitas vezes o casal opta por continuar ou recomeçar sua história e ficam juntos. Mas aquele impacto ou abalo vivido, com certeza, alterou suas histórias e daqui por diante tendem a ser um outro casal, logo essa será uma nova história, pois aquela primeira acabou, morreu, restando então o luto. E este luto, deve ser vivido e assumido, para que possam ter uma chance real de um novo futuro, ou viverão amargurando a frustração experimentada. 
    luto é uma reação sentimental ligada às perdas importantes em nossas vidas. É uma fase transitória, mas com tempo indeterminado de duração, pois sua vivência é sempre particular para cada indivíduo e com certeza sua intensidade, impacto e tempo será determinado pela ideia que aquela pessoa possui sobre perdas. O luto de uma relação amorosa é muito próximo da ideia que temos de luto, quando morre um ente querido. 

    As fases do luto

    Existem diversos estudos que abordam as fases e reações das pessoas presentes no luto, dentro das mais diferentes situações. Apesar das diferenças abordagens em cada estudo, de um modo geral todos eles acabam chegando nos conceitos abaixo ou bem próximo desta ideia. Mostrando que frente a grandes perdas, o ser humano transita entre fases, etapas reativas: 
    Negação ou isolamento - que envolve se isolar, não falar sobre ou não admitir a ideia de perda, é um mecanismo de defesa para se proteger da dor; 
    Sentimento hostil - surge a raiva, agressividade, hostilidade, inveja entre outros similares por não conseguir mais se manter negando aquele fim; 
    Negociação ou barganha - após perceber que a hostilidade também não resolveu a dor da perda, começa então, uma tentativa desesperada de negociação com a própria emoção ou com quem achar ser o culpado de sua perda. Promessas, pactos, orações e outros recursos são muito comuns; 
    Depressão ou choro - este é um momento de desolamento, tristeza, culpa e desgaste. A consciência já não permite mais que se negue ou que camufle aquele fim e a dor é percebida na realidade; 
    Aceitação - neste momento os movimentos da pessoa são em busca de uma superação, um desejo de lidar com aquela realidade e dor e não mais lutar contra. As emoções se tornam mais contidas e a busca de paz se torna o rumo; 
    Esperança - após certo tempo na aceitação a pessoa passa a apresentar uma ideia de continuidade vital, voltando a fazer planos, desejar algo novo e acreditando que pode ter outro futuro. E este movimento faz uma transição ou um fechamento do luto para uma nova história. 
    Importante firmar que nem todas as fases são vivenciadas sempre e também não necessariamente nesta ordem. As particularidades do indivíduo é que irão determinar o estilo e tempo do luto. Há pessoas que parecem compreender mais a inevitabilidade da perda, não que sofram ou sintam menos, mas lutam menos contra a ideia. E há aqueles que não suportam a ideia, nem mesmo pensar ou falar a respeito, e que com certeza reagem com mais intensidade e desespero frente às perdas e as fases do luto. 
    O luto é um processo natural na vida do ser humano e auxilia muito na retomada do equilíbrio emocional, após o impacto de uma grande perda ou angústia (real ou fantasiosa). As fases são estudos sobre as reações vivenciadas dentro dos lutos e estas quando bem orientadas e acolhidas tendem a abrir espaço para uma vida nova. Mas quando usamos nossos esforços emocionais para negar um fim ou rejeitar qualquer possibilidade de perda ou mudança em nossa história, podemos desencadear reações patológicas que resultarão na necessidade de cuidados especiais e profissionais para serem superados. 
    Saber que a morte faz parte da vida não nos faz desejar a morte ou acelerá-la, mas ao contrário, nos permite ter maior conhecimento de nossas necessidades enquanto seres humanos e isto nos orienta como melhor investir em nossa saúde para aumentar nosso tempo de vida em conjunto a qualidade. 
    Da mesma forma podemos entender que o fim de uma relação é algo real e muito possível sempre, mas que se assumido antes de adoecermos nossa história amorosa, podemos cuidar e tentar conduzir nossa parceria para um tempo longo em conjunto e com movimentos saudáveis para ambas as partes. Ou mesmo que se chegue ao fim daquela história, algo triste normalmente, podemos superar com o tempo, admitindo nossas dúvidas, dores e fraquezas e abrindo assim as portas para construirmos novas possibilidades no tempo certo. 

    Este conteúdo ajudou você?  
    IMPRIMA
    ERRO
    erro
    COMENTE
    0
    Mais sobre: