Massacre de Odessa: como a grande mídia camufla a situação na Ucrânia


                         Semeandoquinta-feira, 8 de maio de 2014


Genocídio em Odessa: a Ucrânia que a mídia ocidental não mostra

Massacre de Odessa: como a grande mídia camufla a situação na Ucrânia. 73 anos depois, cidade é o cenário de outro terrível crime de guerra liderado por fascistas contra civis inocentes

Eric Draitser / Global Research | Washington
Cidades orientais e ao sul da Ucrânia tornaram-se campos de batalha enquanto a junta em Kiev enviou assassinos militares e paramilitares para essas regiões.
fascismo nazismo odessa
Militantes nazi-fascistas do Svoboda atacam sindicatos em Odessa (Divulgação)
Ao mesmo tempo, a mídia, com seu papel crítico de moldar a opinião pública, também se tornou um dos principais teatros desse conflito, sendo a propaganda do Ocidente uma das armas mais potentes.
Setenta e três anos atrás, em outubro, o infame “Massacre de Odessa” de 1941, que matou mais de 30 mil judeus na cidade portuária ucraniana e nas cercanias, foi encabeçado por tropas fascistas romenas em colaboração com seus aliados e patrocinadores nazistas. O massacre, apenas mais um contra judeus e outras minorias na Ucrânia, é um marco histórico fundamental para as pessoas de Odessa (e para todos aqueles da antiga União Soviética que lutaram contra o fascismo durante a guerra) quanto à depravação, à desumanidade e à barbárie por parte dos nazistas e de seus colaboradores.
E agora, 73 anos depois, Odessa é o cenário de outro terrível crime de guerra liderado por fascistas contra civis inocentes.
O fogo e o massacre no prédio do sindicato, que matou dezenas de ativistas antifascistas e trabalhadores do prédio, servirá como um doloroso testemunho para a luta em andamento entre a junta em Kiev e os soldados paramilitares neonazistas.
Esse evidente crime de guerra, bem como inúmeros outros cometidos pelo Right Sector e outras milícias ultranacionalistas (leia-se “fascistas”), deveria ser, sem dúvidas, o assunto estampado pelas manchetes em todo o mundo.
No entanto, parece que, de alguma fora, a matança de inocentes, e a questão da responsabilidade pelos crimes entre quem ordenou e realizou o massacre, tem sido completa e sistematicamente distorcida e/ou omitida da narrativa ocidental.
Em vez disso, a grande mídia tentou deliberadamente ocultar a verdadeira natureza dos eventos daquele dia, bem como dos que foram conduzidos posteriormente, a fim de atenuar o impacto da evidente, e totalmente condenatória, criminalidade das milícias fascistas e de seus líderes e financiadores.
Ao usar uma linguagem sutil e codificada, que deliberadamente minimiza a barbárie desses eventos e transfere a culpa de Kiev para Moscou, a grande mídia ocidental mais uma vez atua como um servo obediente do establishment norte-americano e europeu.
O que eles estão dizendo (e não dizendo)
Ao examinar a forma como foram reportados os eventos em Odessa, além de outros que ocorreram em outras regiões desde o dia 1º de maio, observam-se algumas características em comum. Em primeiro lugar, e mais importante, está a linguagem usada para descrever os grupos antifascistas, que compõem a maioria das vítimas em Odessa.
Em um miseravelmente desonesto e tendencioso artigo publicado pela Reuters, intitulado “Ucrânia envia forças policiais especiais para controlar Odessa”, os autores usam termos críticos, como “separatistas pró-Rússia” e “militantes” – na realidade, usa-os de forma intercambiável, de maneira a “rotular” os ativistas como qualquer coisa, menos ucranianos pacifistas lutando por seus direitos.
Naturalmente, a frase “separatistas pró-Rússia” é totalmente tendenciosa, por vários motivos. Primeiro, os ativistas antifascistas e anti-junta militar (que é como eles deveriam ser corretamente caracterizados) não são separatistas no real sentido da palavra.
Eles não defendem uma separação total, mas têm protestado há semanas por uma Ucrânia federalizada, na qual os direitos dos russófonos e de outras minorias seriam respeitados e constitucionalmente garantidos.
massacre odessa
Lágrimas no sepultamento de uma das vítimas do massacre de Odessa (Efe)
Eles estavam reivindicando que seus laços históricos, familiares e econômicos com a Rússia não deveriam ser cortados à força por um governo ilegal em Kiev e suas tropas de choque paramilitares. Longe de serem “separatistas”, esses ativistas – muitos dos quais já foram mortos, feridos e/ou presos – estão protestando por uma Ucrânia justa e pacífica, em vez de um governo intimidatório da junta.
É igualmente importante observar o uso da palavra “militantes” para descrever os ativistas contrários à junta. A implicação de usar tal designação tem a ver com colocar a culpa dos sérios crimes que foram cometidos.
Em essência, ao se referir às vítimas dos crimes como “militantes”, isso justifica a ação do Right Sector e de outros fascistas ao retratá-la como necessária e justa na luga contra os “militantes pró-Rússia”. Além disso, chamar os ativistas de militantes é uma tentativa de separar o governo ilegal de Kiev das óbvias acusações de crimes de guerra que eles enfrentariam se os porta-vozes da propaganda midiática realmente reportassem os fatos tais como ocorreram. E, ao usar tal termo, a mídia está, de fato, dando cobertura política a um regime criminoso apoiado pelo Ocidente. Evidentemente, isso era de se esperar.
massacre odessa ucrânia
Homem em frente ao prédio onde aconteceu o massacre, um dia depois (Reprodução)
O mesmo artigo da Reuters foca amplamente na ação do Ministro do Interior da junta, Arsen Avakov, de criar uma nova “unidade de força especial” para substituir a polícia de Odessa que, de acordo com Avakov, cometeu um erro “grotesco” ao libertar dezenas de sobreviventes que estavam sob custódia e foram considerados prisioneiros sem receber cuidado médico adequado. O texto discute a afirmação de Avakov sobre a criação da “Kiev-1”, uma unidade especial feita de “’ativistas civis’ que queriam ajudar a cidade do Mar Negro ‘nesses dias difíceis’”.
Naturalmente, não há menção direta a quem, exatamente, fará parte dessa nova força especial, mas apenas uma referência ao fato de que “as unidades as quais Avakov surgiram parcialmente da revolta contra Yanukovich no início deste ano”. Esta é, sem dúvida, uma referência velada ao Right Sector e a outras forças paramilitares fascistas que, ao contrário da polícia regular e do exército ucraniano, podem ser utilizadas por Kiev para cometer crimes de guerra e outras atrocidades contra quem quer que se pareça com “Moskals” (um termo pejorativo para designar russos e russófonos).
Outra característica crucial do artigo que serve como propaganda da agenda do Ocidente é a descrição de eventos que levaram a polícia de Odessa a libertar dezenas de sobreviventes-que-se-tornaram-prisioneiros. Os autores do texto descrevem a demonstração pacífica em torno da sede da polícia reivindicando a libertação de amigos e familiares de maneira totalmente desonesta. O artigo diz: “A raiva de Kiev na segunda-feira era por conta da decisão da polícia de Odessa de libertar 67 militantes pró-Rússia depois que apoiadores cercaram e atacaram uma sede da polícia [dando ênfase] no domingo”.
Ao descrever o protesto pacífico como um ato em que “se cercou e atacou”, o leitor tem a impressão de que “separatistas” (também identificados como “terroristas” e “rebeldes” pelo regime criminoso de Kiev e por seus financiadores no Ocidente) realmente iniciaram a violência e o conflito. Naturalmente, embora o oposto seja verdadeiro, a semente é plantada na consciência pública. Assim os ativistas são rotulados, como um produto de consumo comum ou uma campanha de relações públicas.
E assim, o artigo da Reuters é bem-sucedido ao tornar obscura a natureza da nova força, seu real papel, os crimes cometidos, e a natureza da oposição. Ao fazer isso, a Reuters, tal como o New York Times e seus irmãos da grande mídia, disseminam competentemente informações falsas e desinformações a serviço do sistema imperial EUA-UE-OTAN.
Na verdade, o aqui citado New York Times, recusando-se a ficar para trás, publicou o seu próprio altamente tendencioso e propagandístico texto sobre os eventos em Odessa. Intitulado “Controle ucraniano enfraquece e caos se dissemina”, o artigo apresenta Kiev e, especificamente, o primeiro-ministro da junta, Yatsenyuk (escolhido a dedo pelo Ocidente), como vítimas da traição dos russos, retratando-o como uma vítima da agressão e provocação russa. Depois de apresentar a fala inflamatória e cheia de distorções na qual ele culpou as vítimas em Odessa, referindo-se aos eventos como “resultado de uma bem preparada e organizada ação contra pessoas, contra a Ucrânia e contra Odessa”, o repórter do Times continuou com o papagaio de Kiev e com os pontos elencados por Washington sobre o assunto.
O texto relata que “Yatsenyuk disse que a violência mostrou que a Rússia queria reacender a agitação em Odessa, bem como nas cidades a leste da Ucrânia”. Imediatamente após essa citação, que é produto de boatos, e não uma evidência substancial, o artigo continua a discutir as “ambições imperiais” da Rússia, tal como evidenciadas pela Crimeia e pelo conhecido desejo de Putin de reestabelecer a dominação russa sobre a “Novorossiya” (Nova Rússia). Essa é uma tática padrão de desinformação e propaganda: criar uma associação na mente do leitor, de forma que uma relação abstrata (Manifestantes=militantes russos=Putin=imperialismo russo) se torne a rubrica poe meio da qual todos o desenlace é medido e entendido.
massacre odessa ucrânia
Nazifascistas que tomaram o poder espalham o caos na Ucrânia e são apoiados por EUA e União Europeia (Divulgação)
Finalmente, o texto do Times tenta ocultar a realidade tanto de Odessa como da região oriental de Donetsk, que tem sido o centro de muitas organizações antifascistas e contrárias à junta, incluindo a declaração da República Popular de Donetsk. O jornalista escreve: “A violência de sexta-feira e a libertação de prisioneiros no domingo evidenciou uma distinção entre Odessa e o oriente: nos dois lugares, a polícia apoiou os rebeldes. Mas aqui, ativistas locais pró-Kiev constantemente encontram gangues de rua prontas para confrontar o grupo Novorossiya, e as consequências foram letais na sexta-feira”. Em essência, o propósito dessa declaração tem quatro lados.
Primeiro, para confirmar a afirmação feita por Yatsenyuk de que as forças policiais são “criminosas” porque se recusaram a fazer parte da repressão e da violência direcionada a seus irmãos e irmãs, primos e vizinhos, desconsiderando por completo o fato de que isso, sem dúvidas, indica que a maioria da população não quer nem saber da tão mencionada operação “antiterror” que está sendo conduzida pelas forças de Kiev.
Segundo, a declaração mostra quão tendencioso é o manejo da opinião pública por parte da grande mídia. O autor desconsidera, sem qualquer explicação, o fato de que, em cada cidade do sul e do leste, as unidades da polícia e do exército passaram a ficar do lado dos manifestantes em vez de obedecer às ordens criminosas vindas de Kiev. Uma reportagem objetiva evidenciaria esse fato ao demonstrar que a junta em Kiev não governa com o consentimento das pessoas e que, de fato, trata-se de uma minoria governando por meio da força, da intimidação e do apoio do Ocidente. Ao enterrar esse aspecto importante da história, o autor e seus editores se engajaram em uma propaganda completamente transparente a serviço do Ocidente.
Terceiro, a declaração ilustra a precariedade ao apresentar a versão dos fatos alinhada a Washington. Ao usar a frase  “ativistas locais pró-Kiev”, o texto oculta por completo a verdadeira natureza das forças que cometeram a atrocidade. Longe de serem “ativistas”, as tais forças “pró-Kiev” eram, na verdade, grupos nazistas paramilitares, incluindo o Right Sector, que não apenas provavelmente acendeu a primeira chama, mas também documentou em vídeo enquanto batia nos sobreviventes com correntes e cassetetes, negando-lhes cuidado médico de emergência, entre outros. Mas, ao descrever esses criminosos como ativistas, o Times faz seu trabalho de servo para Washington e Kiev, estabelecendo uma estrutura tendenciosa por meio da qual os leitores saberão sobre o conflito.
Finalmente, a forma como o texto coloca os grupos, como “ativistas pró-Kiev” contra o “grupo Novorossiya” é uma manobra transparente de propaganda para, mais uma vez, criar uma falsa dicotomia nas mentes de leitores mal-informados. As turbas de fascistas são apenas “ativistas”, ao passo que os manifestantes anti-Kiev são o “grupo Novorossiya,” o que significa que eles não são assumidamente ucranianos, mas sim agentes do imperialismo russo. O autor nega propositadamente a ação desses manifestantes a fim de legitimar as ações criminosas dos fascistas e deslegitimar os protestos pacíficos da oposição antifascista. “Desonestidade” pode não ser uma palavra forte o suficiente para descrever tais ardilosas táticas jornalísticas.
Os terríveis acontecimentos em Odessa, bem como os ataques mortais em Slovyansk, Kramatorsk e outras cidades orientais, marcam uma virada no conflito da Ucrânia. Mais do que um simples momento importante, essas ações criminosas representam um “ponto a partir do qual não há mais volta”, o momento em que se destruíram quaisquer esperanças de uma resolução pacífica e não sangrenta para a crise. Apesar da propaganda serviçal da grande mídia ocidental, o mundo não pode e não deveria perdoar esses horríveis crimes de guerra. Indo direto ao ponto, eles deveriam servir como lembrança de que a luta pela Ucrânia tem um preço – que não poderia ser quantificado em dólares, euros ou rublos. Mas agora, graças a Kiev, Bruxelas e Washington, o preço será cobrado com sangue.
******************************************************
O NAZISMO VOLTOU: A Ucrânia que a imprensa não mostra
Assista abaixo a um bate-papo entre Edu Lima (RedeCastorPhoto) e o DJ (residente em Moscou), mais conhecido como “Mauro BD”. Neste bate-papo, Mauro revela detalhes que a imprensa-empresa ocidental esconde dos brasileiros que pagam para ter noticiário e só obtém PROPAGANDA POLÍTICA neofascista.
Marchas com jovens, crianças e idosos cantando e fazendo a saudação nazista. Mulheres alegres carregando fotos de líderes nazistas. Civis sendo agredidos gratuitamente nas ruas. Pessoas rindo ao assistir russos sendo queimados vivos. Essa é a Ucrânia que Mídia não mostra. Esse é o governo nazista que Estados Unidos e União Europeia apoiam. Até quando vão nos esconder a verdade sobre esses genocídios? Assistam:

Pragmatismo Politico


Nenhum comentário:


Postar um comentário



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS E ARTIGOS DO BLOG SEMEANDO

  • Genocídio em Odessa: a Ucrânia que a mídia ocidental não mostra

    Massacre de Odessa: como a grande mídia camufla a situação na Ucrânia. 73 anos depois, cidade é o cenário de outro terrível crime de guerra liderado por fascistas contra civis inocentesEric Draitser / Global Research | WashingtonCidades orientais e ao sul da Ucrânia tornaram-se campos de batalha enquanto a junta em Kiev enviou assassinos militares e paramilitares para essas regiões.Militantes nazi-fascistas do Svoboda atacam sindicatos em Odessa (Divulgação)Ao mesmo tempo, a mídia, com seu papel crítico de moldar a opinião pública, também se tornou um dos principais teatros desse conflito, sendo a propaganda do Ocidente uma das armas mais potentes.Setenta e três anos atrás, em outubro, o infame “Massacre de Odessa” de 1941, que matou mais de 30 mil judeus na cidade portuária [...]
    08/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • Plano Médico Illuminati: implantar nas pessoas um chip de bombeamento de drogas farmacêuticas em todos que quiserem ser medicados

    Microchips clínicos implantados que podem ser esperados para serem ministrados em 2017 serão capazes de injetar em pacientes, drogas farmacêuticas, incluindo o controle de natalidade de rotina - tudo através de comunicações sem fio. Atualmente, os chips de reservatório de drogas podem ser implantados sob a pele direita, entregando produtos farmacêuticos de todos os tipos, mas aqui é a parte preocupante desta - que não será controlado por você - mas sim por "profissionais médicos". Imagine alguém com o mesmo nível de moralidade como CEO da Monsanto, ou um proprietário de ações na Pfizer, ou Bill Gates, para decidir quem fica com qual remédio e quanto. Assustador, não é?O que é mais - esses chips de drogas reservatórios implantados será controlado remotamente. Você vai ser [...]
    08/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • Estuprador preso há 30 anos na Bélgica pede eutanásia por se sentir ‘incurável’

    Condenado se autointitulou 'um monstro'Um tribunal belga deve decidir na segunda-feira se aceita o pedido de eutanásia de um homem que está há 30 anos preso em uma instituição psiquiátrica por vários estupros e o assassinato de uma jovem de 19 anos."Sou um monstro", afirmou Frank Van Den Bleeken ao juiz que recebeu sua terceira petição de morte assistida, em outubro de 2013.Aos 50 anos, o homem, cujos crimes foram atribuídos a um problema psiquiátrico, afirma que não tem cura e que, se algum dia for libertado, voltará a estuprar "com certeza e com rapidez". Seu advogado, Jos Van Der Velpen, pediu que ele fosse transferido para um [...]
    08/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • Superbactérias espalharam-se globalmente - As farmacêuticas já disseram que não vai mais fazer antibióticos

    Lee Ann McAdoo Infowars.com 07 de maio de 2014Cepas resistentes aos antibióticos de bactérias já se espalharam-se para todas as partes do mundo e podem levar a um futuro onde as infecções menores poderiam matar, segundo um relatório mundial publicado pela Organização Mundial de Saúde.As farmacêuticas já disseram que não vai mais fazer antibióticos, elevando o custo e deixando o mundo vulnerável a um surto.A resistência às drogas é impulsionado pelo mau uso e abuso de antibióticos, o que incentiva as bactérias a desenvolver novas formas de superá-los. Como algumas cepas são erradicadas, outras formas, morais virais da doença aparecer em seu lugar.Este artigo foi publicado: quarta-feira, 7 de maio, 2014 às [...]
    08/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • A maldade humana não tem limites? Só de ver ja passei mal ! (Vídeo cenas fortes))

    Quando eu assisti este vídeo confesso que meu coração disparou e se encheu de tristeza porque na minha visão é difícil compreender como é que um ser humano pode fazer uma atrocidade desta com o outro?Que mundo é este? A maldade humana é transgressão ética ou é matéria intrínseca ao ser? Tentar justificar a existência da maldade pressupõe analisá-la em cada contexto específico e ser capaz, também, de entender até onde o ser humano age por si mesmo ou é impelido a cometer crueldades ou perversidades, em decorrência de um sistema que produz e destila violência, instiga a competição de todas as formas possíveis, que gera uma profunda desigualdade entre os seus pares e que mercantiliza a vida? "Compara-se muitas vezes a crueldade do homem à das feras, mas isso é injuriar estas [...]
    07/Maio/2014 | 2 Comentários | Leia mais

  • Boechat manda recado para Sheherazade

    Ricardo Boechat alfineta Rachel Sheherazade: apresentadora também é responsável pelas morte de vítimas de 'justiceiros'Boechat alfineta Rachel Sheherazade após linchamento de mulher por boato: ‘tem responsabilidade’ A morte de uma dona de casa inocente, espancada por ‘justiceiros’ no Guarujá, na Baixada Santista (SP), gerou revolta de internautas e jornalistas brasileiros.Na edição do Jornal da Band de ontem (5), o âncora Ricardo Boechat criticou as “pessoas que mesmo em emissoras de TV estimulam a cultura da ‘justiça com as próprias mãos’”. Na avaliação do jornalista, esses formadores de opinião também são responsáveis pelo linchamento e morte de Fabiana Maria de Jesus (vídeo abaixo).É uma referência à jornalista Rachel Sheherazade, que em fevereiro deste ano defendeu o [...]
    07/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • Meninas sequestradas na Nigéria sofrem até 15 estupros por dia

    Menina que conseguiu escapar deu informações sobre o sofrimento no cativeiro. Mais de 200 garotas ainda estão em posse dos sequestradores Imagem é de um vídeo obtido pela agência AFP, que mostra o líder do grupo Boko Haram, Abubakar Shekau, durante um discurso (Foto: AFP/Boko Haram)Uma das meninas sequestradas na Nigéria no último dia 14 de abril, supostamente pelo grupo islâmico Boko Haram, conseguiu escapar e denunciou que as reféns são vítimas de até 15 estupros por dia, segundo o portal local The Trent.A menor declarou ao jornal que, por ser virgem, foi entregue como esposa ao líder da seita e que as meninas são forçadas a fazer sexo e se converter ao Islã. Caso não aceitem, podem ser degoladas.Após serem [...]
    07/Maio/2014 | 1 Comentários | Leia mais

  • HAARP: Arma escalar secreta ?

    HAARP: Um projeto militar dos EUA que pode ser uma arma geofísica e escalar? O Projeto HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program) seria uma nova transição na indústria bélica, que já passou pelas fases de utilização das armas brancas, depois armas de fogo, as armas nucleares, armas biológicas e bacteriológicas, para então chegar ao patamar de armas geofísicas e escalares.Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.comHAARP Tecnologia 2,0 destruindo o nosso meio ambiente?Fontes: http://www.haarp.alaska.edu e http://www.activistpost.comSegundo estas teorias, seria possível controlar a movimentação das placas tectônicas (e assim criar terremotos), a temperatura atmosférica e até mesmo o nível de radiação que passa pela camada de ozônio.Peter A. Kirby Activist PostElas [...]
    06/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • ANTIBIÓTICOS GERAM PRAGAS MAIS VIOLENTAS E OBESIDADE

    Médicos especializados em doenças infecciosas operam agora em um estado de quase pânico, uma vez que o tratamento de doenças comuns está exigindo medicamentos mais e mais poderosos Antibióticos geram pragas mais violentas e obesidade, diz especialista Neste mundo, nada é de graça, especialmente quando estamos falando de saúde. Todos os exames, todas as incisões, e cada uma das pílulas que tomamos nos trazem benefícios e riscos. Em nenhuma área, a coisa pende mais obviamente para a direção errada do que no mundo das doenças infecciosas, a maior história de sucesso do século 20. Nós contamos com os antibióticos desde meados dos anos 1940 – praticamente desde que a bomba atômica foi criada, destaca o professor de medicina Martin J. Blaser – e o nosso maior erro foi não ter percebido há [...]
    06/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • A FARSA DA PANDEMIA DA GRIPE SUINA

    “Preparem-se para a pior pandemia de todos os tempos! Milhões serão infectados e milhares morrerão! A causa é uma nova gripe. Ela tem os mesmos sintomas e meios de transmissão da gripe comum. Mas notamos que a taxa de mortalidade é menor que a gripe comum e as pessoas se recuperam rapidamente, sem necessidade de medicamentos”.Desde o princípio, com certa indignação, alertei para o alarmismo desnecessário sobre esta nova gripe. Mesmo não sendo biólogo ou médico, bastou umas visitas a alguns blogs de biólogos e médicos para concluir que todo aquele escarcéu promovido pela OMS através da mídia (naturalmente sensacionalista) era completamente desnecessário.A dúvida que restou foi saber: mas afinal, quem iniciou toda essa histeria e quem ganhou com isso? Pois hoje o cenário está bem mais [...]
    06/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • Neymar: um bom escravo e um mau cidadão

    Mais uma vez se coloca a necessidade de o movimento negro ter uma postura autônoma em relação ao governo, independente das eventuais preferências político-partidárias, para aprofundar este debate. Caso contrário, corre-se o risco de o movimento negro esbravejar mais contra Neymar do que contra o racista que atirou a banana em Daniel Alves Por Dennis de Oliveira, na Fórum Semanal No artigo publicado na coluna Quilombo da revista Fórum semanal (clique aqui para ler), foi feita uma analogia das relações entre os jogadores-celebridades e a indústria cultural e de entretenimento do futebol. Apesar dos altos ganhos salariais auferidos pelas [...]
    06/Maio/2014 | 1 Comentários | Leia mais

  • Empresário lamenta a realização da Copa no Brasil: 'Será um mês perdido'

    Imagem: DivulgaçãoMarcos Morita, mestre em Administração e professor de estratégia e marketing na Universidade Mackenzie, além de executivo há 15 anos em multinacionais, escreveu um artigo lamentando a realização da Copa do Mundo no Brasil e seus efeitos, sobretudo econômicos, os quais considera amplamente negativos. Leia abaixo e manifeste sua opinião a respeito:O eterno país do futebol e do futuro que não chega Como todo menino brasileiro, sempre gostei de futebol e principalmente de Copa do Mundo. Colecionava as figurinhas um tanto toscas com as fotos dos jogadores, as quais acompanhavam os chicletes Ping Pong de tutti-frutti, hortelã e morango. Para agilizar a coleção costumávamos mascar várias gomas disputando quem fazia a maior bola, ou então batendo [...]
    06/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • Após 10 anos do Luz Para Todos, 1 milhão continuam sem energia no país

    Imagem: Reprodução / Redes SociaisAos 52 anos, a agricultora Severina Maria de Moura nunca teve uma televisão. Sem energia em casa, ela se vira com velas ou o velho lampião, quando tem dinheiro para comprar o gás. A realidade dela, que mora em Messias (na região metropolitana de Maceió), é idêntica à de mais de um milhão de brasileiros que ainda vivem sem energia elétrica.Severina mora há sete anos no acampamento Bom Regente, às margens da BR-101 e sob linhas de transmissão de energia de alta tensão. Ela lembra com saudade da adolescência, quando tinha luz em casa. "Eu morava em Porto Calvo [região norte de Alagoas], e minha família tinha uma televisão. Desde lá nunca mais assisti em casa", diz.A meta do governo era que, há cinco anos, não houvesse ninguém sem energia no [...]
    06/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • Cerveja adulterada mata 10 pessoas e intoxica 35 no Quênia

    EFENairóbi, 6 mai (EFE).- Pelo menos dez pessoas morreram e 35 foram hospitalizadas por intoxicação após beber cerveja adulterada em bairros pobres de Embu, cidade a nordeste de Nairóbi, informa nesta terça-feira a imprensa local.As vítimas morreram na noite passada, e os outros intoxicados foram hospitalizados com fortes dores e perda de visão, explicou o superintendente da saúde, Gerald Ndiritu, ao jornal 'The Standard'.A bebida tóxica era vendida a 20 xelins (R$ 0,50) 100 mililitros, e uma mulher foi detida acusada de adulterar cerveja para fazê-la, informou o comandante da polícia local, Elphas Korir.Algumas das vítimas estavam bebendo a cerveja, conhecida como 'kathavuria', quando começaram a perder a visão, relataram à emissora queniana 'Capital FM'.'Demorei para me dar conta de que [...]
    06/Maio/2014 | 0 Comentários | Leia mais

  • 'Em meio ao caos, o Brasil está entrando em desespero, autodestruição, ódio a si mesmo', diz Jabor; assista ao vídeo

    Imagem: Reprodução/Globo/YoutubeEm recente comentário, o jornalista Arnaldo Jabor a constante desilusão dos cidadãos do país.Segundo o comentarista, o país "começa a criar uma espécie de ódio a si mesmo", "um desespero de autodestruição e o país começa a se atacar, o rancor e a desesperança criam traumas na população".Segundo o mesmo, o fatalismo, a desesperança e a tristeza são decorrências de tais sentimentos, os quais, ainda conforme Jabor, dão margem à ascensão do autoritarismo e de profundas mudanças na "mentalidade coletiva" da sociedade.Lígia FerreiraFolha Política
    05/Maio/2014 | 1 Comentários | Leia mais

#...#

Disqus Comments
Tecnologia do Blogger.

About

© 2017 Portal Pan Americano - Template Created by goomsite - Proudly powered by Blogger